Quinta do Sommelier no Rause Café e Vinho

rause3

Eu já contei aqui para vocês que adoro o Rause Café e Vinho. Comida boa, lugar gostoso e pessoas legais. Aí descobri na semana passada (sim, meio atrasada) sobre a tal quinta do Sommelier. A ideia é apresentar um vinho por mês, todas as quintas, com aperitivos harmonizados. A taça de 100 ml + o aperitivo sugerido sai por R$10,00. Na quinta passada, o vinho do mês era o espanhol Menguante Garnacha 2008. A dica de harmonização foi Mini Parmegiana, com tiras de mignon empanadas e cobertas por ragu de tomate e queijo. Eu também provei as mini bruschettas, e as tiras de mignon com gorgonzola.

rause

O vinho é feito com a uva mais emblemática da Espanha, a Garnacha, que tem um toque frutado de Novo Mundo, muito aromática e fácil de beber. O crítico (e enochato) Robert Parker deu 90 pontos, o que em termos de Robert Parker, é muito. Mas o que importa é você conhecer e provar. O rótulo é importado pela Grand Cru e custa em média R$40.

IMG_20140828_221531643

Além da sugestão da casa, eu provei o branco argentino 505 Chardonnay, da Casarena, ideal para quem gosta da suavidade e da leveza do Chardonnay. Frescor e acidez moderados. Com ele, provei os mesmos aperitivos citados acima e confesso que tudo casou bem. O valor dele no Rause é algo em torno de R$60.

rause setembro

Como o mês mudou, mudou também o vinho da quinta do Sommelier no Rause. Hoje começa a degustação de um chileno: Lagar de Bezana Cabernet Sauvignon Reserva 2012, direto do Vale do Rapel, no Alto Cachapoal, região central do Chile. Para a harmonização, o Rause elaborou um prato bem encorpado, para combinar com a potência do cabernet, que tem ainda um pouco de syrah e carmenere: risoto de costela com vinho tinto, com toque de manjericão e alecrim. A Quinta do Sommelier acontece no Rause Café e Vinho todas as quintas feiras, a partir das 18h.

Rause Café + Vinho, Al. Carlos de Carvalho, 696, telefone: 3024.0696.
Anúncios

Vinho do dia: Abraito, Regional Alentejano

Alentejo, Portugal

Alentejo, Portugal

Nada melhor quem um bom vinho para espantar o frio e encarar a segunda com ânimo. A minha dica de hoje é um vinho português regional do Alentejo, região que apresenta a qualidade média mais elevada se comparada às outras regiões vinícolas de Portugal. Talvez alguns torçam o nariz ao ler a designação “vinho regional”, acreditando ser um vinho de qualidade inferior. Mas esse pensamento é totalmente equivocado, visto que o Alentejo tem uma excelente produção de vinhos regionais. Alguns rótulos poderiam até ser classificados como DOC, Denominação de Origem Controlada, mas os produtores preferem não o fazê-lo para incluírem outras uvas além das permitidas na legislação.

IMG_20140719_133221325

Mas chega de blábláblá. O Abraito Reserva 2011 é feito com as uvas Aragonez, Alicant Bouschet e Trincadeira, apresentando 14% de graduação alcoólica. No olfato, assim como a maioria dos vinhos alentejanos, mostra notas frutadas, de frutas vermelhas maduras, geleias, especiarias. A cor é é granada com reflexos violáceos, intenso. Na boca tem bom equilíbrio, suave, fresco, vivo, bom corpo e taninos redondos. Fácil de beber. Harmonizei com gorgonzola e geleia de pimenta. Mas vai muito bem também com carne de caça. Um vinho com excelente custo benefício. Comprei na Adega Franco, na Avenida Getúlio Vargas, por R$44.

Alta gastronomia no Vindouro

Não existe nada mais sublime e encantador do que harmonizar perfeitamente a comida com o vinho certo. Quem já teve essa experiência sabe do que eu estou falando. Na noite de ontem, Silvana Fetter, nossa amiga do curso de Sommelier e proprietária do restaurante Vindouro, nos proporcionou uma noite incrível, daquelas para entrar na lista dos top 5 dinners da vida.  Antes de nos encantar com as delícias preparadas pela chef Adriana de Nadai, tivemos aula de França, com a também incrível professora e sommelier Sônia Maria Petri, já que os vinhos da noite foram todos franceses.

vindouro1

Desde os pãezinhos da entrada, deliciosamente feitos pelo nosso colega de classe Rudio, até a sobremesa, tudo foi perfeito. Já de cara fomos agraciados com uma iguaria única e de sabor inigualável: Terrine de foie gras sobre pão de mel e nozes. Não torça o nariz para o foie gras. Por ser uma terrine, ele é menos impactante que o foie gras de verdade. (Eu sei que a técnica do foie gras é de cortar o coração, também sou contra, mas acho que todas as pessoas devem provar pelo menos uma vez na vida porque é algo inexplicável, de sabor único. Afinal de contas, você também come frango e nem sofre tanto.) Para harmonizar com o foie gras, a estrela da noite: Sauternes. Eu posso afirmar que é uma das melhores combinações da vida. A harmonização é tão encantadora que a mesa inteira ficou em silêncio pleno, quase em estado de meditação.

IMG_20140715_211546952

Passado o momento de êxtase, fomos para a entrada: Seleção de mini folhas com vol-au-vent de aspargos e brie gratinado. Como descrever esse prato? Delicado, saboroso, extremamente bem feito. Aspargos é true love, com brie então, true love forever. A harmonização teve duas opções: Domaine Paul Blanck Riesling, 2012, da Aslace, e Domaine Sorin, Terra Amata Rosé, 2012, de Cotes de Provence. Eu confesso que gostei com os dois, mas o Riesling fica melhor. A Riesling é uma uva que se dá muito bem com o aspargo, então, é garantia de sucesso. Mas o rosé, que ainda é muito ignorado por todos nós, tem seu valor e merece um voto de confiança.

IMG_20140715_213243232

O prato principal foi outro grande momento: Mignon ao molho de mostarda Dijon com risoto mantecato, harmonizado com Domaine Paul Mas – Mas de Mas Corbières, 2010.  Risoto saboroso e como o nome mesmo sugere, amanteigado, cremoso, no ponto. E a carne também, suculenta, vermelha por dentro, crocante por fora, coberta de mostarda, fechando o prato em completa harmonia. O vinho também, sem palavras, combinou muito.

IMG_20140715_214927784

Mas calma, há ainda a sobremesa, uma inusitada e sensacional Sopa de Chocolate com sorvete praliné de amêndoas. Já imaginou isso? Com certeza não. Vá e prove, é divino. Harmonizado ainda com o fortificado Domaine Paul Mas, Mas de Mas Maury, 2008. Tão forte quanto um vinho do porto, porém, longe de ser um.

IMG_20140715_222659923

É ou não é um jantar dos deuses? O menu foi criado especialmente para essa nossa aula-jantar-degustação, mas quase todos os pratos estão no cardápio do Vindouro, talvez um pouco diferente, mas estão. Falando até no cardápio do local, é de tirar o chapéu. Mesmo depois de ter comido tudo que descrevi acima, fui dar uma olhada no que a casa oferece e fiquei com água na boca, principalmente com as opções de frutos do mar. Um dos carro-chefe da casa é a ostra, in natura e gratinada. Merece sua atenção o Crevettes avec fromage suisse, que são camarões do litoral nordestino, com fonduta de queijo suíço e palmito pupunha de
Guaraqueçaba. Deu ou não deu água na boca? Entre as carnes, destaque para a Paleta de cordeiro do Uruguai, molho do próprio assado e risoto milanês. Isso sem entrar no mérito das sobremesas, de creme brûlée e a trilogia de chocolates.

Os vinhos da noite

Os vinhos da noite

Recomendo, indico, imploro e assino embaixo: vale a pena investir em um jantar inesquecível no Vindouro que, além de pratos deliciosos e uma carta de vinhos completíssima, opta pelo uso de ingredientes regionais e orgânicos. Outro item que vale a pena destacar é que tudo é feito na casa, desde os pães da entrada até o sorvete da sobremesa. Sem falar que a casa é linda e sofisticada, com uma área externa ótima para dias quentes e uma sala para eventos com teto retrátil. O preço dos pratos varia entre $35 a $80, mas a satisfação é garantida.

vindouro3

Vindouro – Rua Guarda-mor Lustosa, 129 – Juvevê – 3027.0700
vindouro.com.br 

 

Vinho do dia

Como eu disse no post anterior, o blog está de cara nova, todo metido e cheio de informação para dividir. Todo dia (prometo que vou me esforçar ao máximo para cumprir esta promessa) vou sugerir um vinho, porque todo dia é dia de tomar vinho!

O vinho de hoje foi amor a primeira vista. Foi um dos primeiros vinhos que degustei no curso de Sommelier e já ganhou meu coração. Angove Long Row Shiraz 2010, da Austrália. Um vinho muito aromático e fácil de beber. A Shiraz é uma uva que origina vinhos redondos, macios e com acidez e taninos moderados. Acompanha bem pizza ou uma carne vermelha com molho condimentado.

IMG_20140324_223732872

Preço aproximado: $70. / Onde comprar: Mercado Municipal