Fru Fru Curitibano

Há algumas semanas aconteceu um dos eventos mais esperados pelos amantes da gastronomia e do Crystal Fashion Week. O Empório Batel Soho já é um evento que está em sua 3a edição em Curitiba. A Praça da Espanha recebe milhares de pessoas em busca de comida boa e diversão. Digo isso porque Curitiba é uma cidade carente de eventos do tipo; quando tem alguma coisa assim o povo vai com tudo. De cachorros límpidos e vistosos a crianças nuas alegres e livres. Velhas peruas, novas peruas, futuras peruas, peruas falidas. Adolescentes, pseudo-adultos, adultos, senhoras e senhores. E claro, a imprensa curitibana. E, além da comida, teve show do Hermeto Pascoal e outras bandas. Luxo!

Empório Soho

Vamos falar do evento. São 18 restaurantes participantes. Os melhores da cidade, sem sombra de dúvidas. Ainda faltam alguns dos bons participarem. Cada restaurante tem a sua barraquinha e serve uma porção – que poderia ser mais generosa – de um prato escolhido. Cada porção salgada vale $12 e os doces $8. Tenho que revelar a minha indignação. Eu sei que a comida é boa, de excelente qualidade, que o evento é um sucesso e temos que prestigiar e fomentar a culinária local. Mas R$12 em uma porção de degustação é too much for me. Vão me chamar de jornalista curitiboca mão de vaca que não valoriza os chefs locais. Valorizo e muito. Vou ao restaurante, como e bebo e sempre deixo boas quantias de dinheiro. Creio que para um evento como esse a metade do preço estava de bom tamanho e ainda com um lucro de quase 100%. Mas tudo bem. Não estou aqui para criticar o evento, pois sou frequentadora assídua.

CardápioOlha eu me estendendo de novo e deixando a comida de lado. Infelizmente não pude provar todos os 18 pratos, né. Mas vou contar dos que eu provei, que foram divinos. JPL Burguers, o novato do grupo dos grandes, agora entra no evento com sanduíches finos. Um hambúrguer enorme, muito saboroso, pão macio, queijo e molho. O único que valia a pena pelo preço, pois no bar custa mais que o valor cobrado no evento. Então, ponto para o JPL.

Hambúrguer, queijo e molho barbecue

Empório Rosmarino foi o segundo restaurante escolhido. O prato: um torteloni de camarão e mandioquinha ao molho de camarões. A massa estava perfeita, macia e bonita. O recheio no ponto, e o molho meio rosé, cremoso….hummmmm. O único ponto negativo foi a espera. Cerca de 15 minutos até a massa cozinhar e o molho ficar pronto. Dispenso a culpa do restaurante pois trata-se de uma falha de logística do evento. O fogão que aquece a comida fica no meio da praça, com um botijão de gás ao lado, agredido pelos fatores externos naturais, como o vento. Mas ponto para o Rosmarino, que, aliás, nunca fui ao local e estou devendo uma visita.

Já contei que sou fã do La Pasta Gialla? Esse é um exemplo clássico de bom, bonito e barato. Tá, barato é exagero. Mas é honesto. Achei que o prato poderia ter sido outro, já que o restaurante tem ótimas opções a oferecer. A porção era generosa, a única, eu acho. Bruschettas: pão italiano tostado no azeite de oliva com coberturas de calabresa ou pomodoro. Escolhi calabresa. Deu perfeitamente para duas pessoas. Uma delícia. De melecar os dedos e engordurar os beiços!

Okay. Chega de salgados. A formiga precisa de doce. Convidada pela minha amiga Alaíde Marcolini, provei o delírio oferecido na barraquinha do Fabiano Marcolini, um dos melhores chefs da cidade, na minha opinião. Crema Fredda Marcolini: creme italiano gelado de Doce de Leite, Yogurte, Chocolate e Frutas. Me joguei no Doce de Leite, acompanhado de suspiros, mini brownies e cobertura de caramelo. Sério. Pára tudo. Isso é uma obra prima. Comeria mais uns oito. De joelhos, rezando cada conta do terço. Um creme gelado no ponto. Cremoso no ponto. Perfeito. Nem doce, nem amargo, nem grudento, nem meloso. Ó, me deu até água na boca. Preciso de novo. Obrigada. Provem, por favor. Não só essa Crema Fredda. Todos os sorvetes são uma loucura. Chega. Me estendi demais.

Próximo e último doce, ufa. Por conta do calor que fazia naquele sábado em Curitiba (quase 30 graus, eu acho) optei pelo sorvete. De novo! E arrisquei num sabor que não faz muito meu tipo, mas era só isso que a Diletto oferecia: Gelato italiano de iogurte fresco com um leve toque de limão sicilliano. Era o lançamento da marca e foi super aprovado por mim. Refrescante e cremoso. Um sabor discreto do limão combinado com a leveza do iogurte.

Iogurte com um toque de limão

72 kilos a mais, uma tarde agradável de sábado, um início de infecção no rim (que não vem ao caso) e mais uma edição lotada de Batel Soho. O povo gosta, fica feliz, todo mundo vai para casa com o sentimento de ‘dever cumprido’, ‘bucho’ cheio e bolso menos rhyco! Aguardamos ansiosos a próxima edição do evento, preparando nossos labradores e goldens retriever.

O Jet-Set curitibano

Anúncios

Simples e perfeito

O título desse post pode ser too much. Mas tenho que assumir a vocês, queridos leitores do blog (se é que vocês existem), que sou fã assumida, apaixonada e fiel do trio Bella Banoffi, Cantina do Délio e CanaBenta, todos do casal mais simpático dessa cidade, Renata e Délio Canabrava. Não recebi propina nem almoço de graça. Muito pelo contrário, é nesse tipo de lugar que faço questão de pagar.  As três casas são agradáveis, aconchegantes, com um clima de praia, relax, atendimento cuidadoso e frequentado pelos hypes da cidade.

Fachada do restaurante

Mas o destaque mesmo é a comida. Aproveitei o feriado e fui  almoçar cazamigue na Banoffi, então meu post hoje vai ser para lá. Em breve vou aos outros dois e trago novidades. O dia estava quente, com sol e um céu azul. Coisa rara nessa capital fria e sem graça. Portanto várias pessoas tiveram a mesma ideia que a gente. Desfiles de moda à parte, não demorou muito para conseguirmos uma mesa. Do cardápio do dia escolhemos a Tilápia grelhada com legumes e croutons, acompanhado de arroz multi cereais e batata; e o Papelote de frango com shitake e legumes, com arroz branco e batata. Os dois perfeitos. Combinações ótimas, leves para o dia quente, saboroso. Harmonizamos (hum, trés chic) com um vinho branco italiano Pinot Grigio, da Casa del Ronco.

Tilápia grelhada com legumes e croutonsPapelote de frango com shitake e legumesPinot Grigio, da Casa del Ronco

Antes de partir para a finalización do almoço vale registrar que se você quer provar o prato tradicional da casa, peça Panqueca. Me arrependi, inclusive, de não tê-la pedido. Não que meu franguinho no papelote não estivesse uma delícia. Estava. Mas a panqueca….. Aff. O segredo talvez seja a forma como é servida, numa frigideira de ferro quente, encaixada numa pedra de madeira que garante que o queijo parmesão gratinado continue a borbulhar mesmo enquanto você se delicia. O sabor campeão é a típica de carne moída com molho de tomate e queijo. Para quem prefere algo mais leve, há as opções vegetarianas com recheio de legumes, verduras e queijos mais leves. Um sabor que é pedido com frequência é o mignon com cheddar. Maravilhoso!

Panqueca com o queijo sempre borbulhando

Nesse menu do dia eles servem primeiro uma salada e depois o prato, que sustenta tranquilamente uma pessoa. É a medida exata, nem de mais, nem de menos. Entre pássaros cantado, crianças super bem vestidas, mães modernas e jovens descoladas é hora de se jogar na sobremesa. E, por favor, não façam como as minhas amigas que esnobaram o ponto forte da casa. Os doces são um capítulo a parte, pois essa é a especialidade da casa, premiada com a Torta Banoffi: casquinha de bolacha, doce de leite, bananas e nata batida. Uma das melhores tortas que já provei na vida. E olha que minha vó é uma doceira de mão cheia. Mas, como sempre peço essa, resolvi escolher algo novo, geladinho e refrescante, e fui de Sorvete de Flocos na casquinha com calda de chocolate. Oh gente, o que é isso? Uma loucura. Uh Lady GaGa. Vale cada colherada, a serem apreciadas com calma e atenção. Para acompanhar a receita (e continuar bebendo naquela tarde gostosa, claro!) pedimos um Lambrusco dell’ Emilia, da Villa Giada.

Especialidade da casaMuita calda!Lambrusco dell' Emilia, da Villa Giada

Vão lá, por favor! Bella Banoffi, rua Itupava, 1.091 – Alto da XV.

Rodízio de Pastel

O pastel está para o brasileiro (e para o chinês) assim como o hambúrguer está para o americano e a pizza para o paulista. Aquela massa sequinha e crocante é o ponto que todos os pasteleiros almejam. O recheio varia. Os tradicionais de carne e queijo são, sem dúvida, os mais pedidos. Mas tem para todo gosto. Até onde sua imaginação não alcança alguém pensou e fez! Essa semana fui a um rodízio de pastel. Loucura! Delícia.

Comprei por um daqueles famosos sites de desconto, febre atualmente. Sim, já falei deles e já disse que isso rende um post a parte e ainda não dediquei um tempo a isso. Vou fazer, calma lá. E por conta desses sites descobri uma casa especializada em pastel, que não fica no centro, não tem dono chinês e não é suja! A Winnetou oferece mais de 50 sabores de pastel. CINQUENTA. Dá para acreditar? Dos básicos de Brócolis e Palmito aos elaborados Morretes (de barreado), Omelete (ovo mexido, bacon e mussarela) e Xadrez (frango xadrez, pimentão, cebola e mussarela).

Sabor Morretes: com barreado!

O rodízio oferece que o cliente prove 26 sabores. E vou te dizer: é coisa hein. Eu juro que tentei comer os 26 mas, depois do 20º tive que selecionar. Eles vem em grupos de 6, primeiro os salgados e depois os doces. O tamanho é P, com 12 centímetros. Os outros tamanhos são M, G e GG e não fazem parte do rodízio. O GG, aliás, é uma refeição completa, com 30 centímetros e quase 700g de muito recheio.

Não vou me lembrar quais são todos os 26 sabores. Vá lá e descubra, pois vale a pena. Meus favoritos foram o de Pizza, o Havana (camarão, catupiry e mussarela) e o Morretes (barreado, batata palha, banana, mussarela e catupiry). Esse de barreado é uma delícia. O sabor da carne, misturado com a banana, pude até sentir o ventinho de Morretes bater na cara. Interessante pedir esse em versão big! No dia que fui estava em falta o Gaúcho (costela, cebola, catupiry e provolone), uma pena.

Vários sabores, um melhor que o outro.

Preciso falar dos pasteis doces, visto que sou uma formiga ambulante. Vieram os sabores de chocolate preto, chocolate branco, beijinho, biscoito e banana. Uma delícia. O de beijinho é super mega doce. Mas os de chocolate, preto e branco, são perfeitos! Fiquei com vontade de provar o Sensação (morango e chocolate preto ao leite), mas não fazia parte do rodízio. Fica a dica para a próxima visita.

O de beijinho é mais doce que o doce da batata-doce.

Pontos a serem considerados: a massa é fantástica. Bem feita, sequinha e crocante. Óleo quase inexistente. Todos os pastéis são bem recheados. Um ou outro recheio não me agradou, mas aí é gosto pessoal. No geral os pastéis são deliciosos. A casa é pequena, ajeitada, mesas cobertas com toalhas vermelhas. Ao entrar, parece uma cantina italiana. Não tem cara nem cheiro de pastelaria. A trilha sonora só que não era das melhores. E ponto para o atendimento, exclusivo, de mesa em mesa, do gringo dono. Desculpem mas não anotei o nome do cidadão. Um senhorzinho de cabelos brancos. Uma graça! A notícia boa é que logo mais eles vão entrar no mundo delivery. Aí, amigos, vai ser bonito.

No final só sobra potinho vazio.

Gostou? Vai lá: Rua Dr Roberto Barrozo, 1933. De segunda a sábado das 18h às 23h.